Torta de maçã (a melhor de todas)

Dizem que os ciclos dos planetas têm uma influência na nossa vida. Saturno leva vinte nove anos pra dar uma volta completa ao redor do sol. Quando alguém completa vinte nove anos acontece o famoso “retorno de Saturno”, a primeira grande crise da vida adulta. É quando começam aquelas cobranças do estilo “Já conseguiu um diploma?”, “Já comprou uma casa?”, “Já casou?”, etc.  É quando as pessoas sentem aquela vontade urgente de mudar de vida. Meu vigésimo nono aniversário aconteceu algumas semanas atrás. Um belo dia de novembro acordei e tinha vinte nove anos. Olhei ao redor e esperei a crise.  Felizmente, ao fazer a análise desses vinte nove anos de existência, o saldo foi positivo. Realisei o grande sonho da minha vida, que era fazer faculdade no exterior. Descobri o que realmente quero fazer da vida e joguei fora o diploma da faculdade. Visitei vários países. Matei meu pai (foi Freud que mandou e é no sentido figurado) e perdoei minha mãe por não ter sido a mãe que eu sonhei em ter (quanto a me perdoar por não ser a filha que ela sonhou em ter, essa será minha missão durante os próximos vinte e nove anos). Fiz as pazes com meu corpo. Encontrei o amor da minha vida e tratei logo de casar com ela pra não perdê-la de vista. Não tenho casa, nem carro, nem sequer cartão de crédito e tudo que possuo cabe em uma mala (tirando minha vaquinha Macabéa), mas se engana quem pensa que isso me preocupa. Achei o meu lugar no mundo e sou muito feliz.

Porém me senti na obrigação de mudar alguma coisa na minha vida, em consideração a Saturno. Então decidi que não faria bolo de aniversário. Acho um absurdo ingerir aquela quantidade imensa de farinha de trigo e açúcar quando se tem tanta coisa mais interessante pra comer. Então resolvi criar a torta dos meus sonhos pra comemorar a mudança de idade e o novo ciclo. Eu tinha em mente uma torta de estilo européia, não essas confecções submersas em leite condensado e creme de leite que os brasileiros têm o (péssimo) hábito de consumir. Eu queria uma massa fina e crocante, com o mínimo de farinha possível e com amêndoas. Queria bastante recheio e o recheio tinha que ser maçã porque sobremesas com frutas são as minhas preferidas. As maçãs tinham que ser flambadas no rum, pois nada como um pouquinho de álcool pra transformar uma sobremesa simples em algo especial. E ao invés de fazer uma torta grande, queria tortinhas individuais pois comer uma mini-torta é mais gostoso do que comer uma fatia de torta. Precisei de quatro tentativas pra chegar ao resultado que eu estava procurando (por isso só estou publicando a receita agora) mas consegui fazer a torta de maçã perfeita, a melhor que já comi.

Nunca mais quero bolo de aniversário, a partir de agora só quero essa torta.

Torta de maçã n°29

A receita é longa porque explico cada passo em detalhes, mas fazer essas tortinhas é super fácil. Se quiser uma sobremesa ultra especial, sirva com sorvete de baunilha vegano. Iogurte de soja de baunilha também é um ótimo acompanhamento.

Massa:

1x de amêndoas em pó (mais ou menos 3/4x de amêndoas inteiras)

2/3x de farinha de trigo

2cc rasas de açúcar demerara

2 pitadas de sal

½ cc de canela

4cs rasas de margarina gelada

2cs de água gelada

farinha de trigo pra polvilhar

um pouco de leite de soja pra pincelar (opcional)

Recheio:

4 maçãs grandes (ou 6 pequenas)

suco de limão

1cs de margarina

um fio de azeite

1cs de açúcar demerara

2cs de rum

canela

Massa:

Se não encontrar amêndoas em pó, triture ¾ x de amêndoas inteiras no liquidificador até atingir a textura de areia fina. Se alguns pedaços ficarem inteiros, pique-os o mais finamente possível com uma faca afiada. Nunca testei mas acredito que com um pilão pesado e bastante paciência também é possível fazer esse trabalho. Misture as amêndoas em pó com a farinha de trigo, o açúcar, o sal e a canela. Junte a margarina gelada em pedacinhos (eu meço 1cs rasa de margarina gelada e uso uma faca pra ir cortando pedacinhos de margarina que deixo cair sobre a farinha, depois faço o mesmo com o resto da margarina) e misture com um garfo até a massa atingir um aspecto granulado. Junte 2cs de água gelada e mexa com um garfo até todos os ingredientes se misturarem, depois use as mãos e amasse ligeiramente até ficar homogêneo. Você tem que trabalhar rápido senão a margarina derrete e a massa fica mole demais. Forme uma bola, envolva a massa com um pedaço de plástico (filme ou saco) e coloque no congelador enquanto prepara o recheio.

Recheio:

Descasque as maçãs (eu gosto de descascar metade das maçãs e deixar a outra metade com casca: é mais bonito e a textura fica mais interessante), corte cada maçã em quatro e regue com um pouco de suco de limão pra impedir que elas escureçam. Corte cada pedaço de maçã em fatias finas e regue com mais suco de limão, se preciso. Derreta a margarina em uma frigideira grande e funda (se for de ferro, melhor ainda) e junte um fio de azeite (isso impede que ela queime). Despeje as fatias de maçã na frigideira e mexa pra que tudo fique envolvido com margarina. Cozinhe em fogo baixo até a maçã ficar macia. Polvilhe o açúcar e mexa delicadamente pra não quebrar as fatias. Junte o rum e incline a frigideira sobre a chama do fogão pra flambar as maçãs. Quando a chama se apagar desligue o fogo e deixe esfriar.

Montagem:

Aqueça o forno em temperatura média/alta. Espalhe bastante farinha sobre a superfície de trabalho. Retire a massa do congelador e, com uma faca, divida em quatro porções iguais. Pegue um pedaço e coloque os outros de volta no congelador. Estique a massa (com as mãos ou rolo), formando um círculo um pouco maior que um CD. A massa é grudenta e você vai precisar polvilhá-la com farinha pra que ela não grude. nas suas mãos. Use uma faca longa e reta pra descolar a massa da superfície de trabalho e transferí-la pra uma placa de alumínio, ou forma rasa (não precisa untar). Coloque a forma na geladeira enquanto prepara as outras três mini-tortas. Como a massa é rica em margarina, é importante mantê-la gelada senão ela amolece e fica impossível de ser manipulada. Divida o recheio em quatro e disponha as porções de maçã sobre os discos de massa, deixando 1,5cm de borda sem recheio. Dobre as bordas sobre as maçãs, formando um “muro” ao redor do recheio. Não precisa ser perfeito, o charme dessas tortinhas é o visual rústico. Pincele as bordas com um pouco de leite de soja (opcional, a vantagem de fazer isso é que a massa vai ficar mais douradinha) e polvilhe com canela. Asse as mini-tortas até a massa ficar bem dourada. Sirva morna. Rende quatro mini-tortas.

Anúncios