Sopa de jerimum e gengibre

 

Ser professora substituta na escola maternal francesa está sugando todas as minhas forças. Eu fui baby-sitter durante todos os meus anos de faculdade e sobrevivi sem nenhuma sequela (tirando, talvez, uma vontade ainda mais firme de não ter filhos), mas eu cuidava de uma ou duas crianças por vez. Cuidar de nove crianças de três anos ao mesmo tempo, durante seis horas por dia, é de enlouquecer. Professores de escolas maternais, eu vos admiro muito. Acho que as prefeituras deveriam erguer estátuas em homenagem a esses heróis.

O cansaço e o frio, o termômetro não pára de baixar por aqui, andam destruindo toda minha ambição culinária. Quando entro na minha cozinha gelada (eu e a cozinha) só tenho vontade de uma coisa: algo simples, rápido e quente. Pra mim a melhor maneira de combinar essas três palavras em um prato é fazer uma sopa. Algumas das minhas sopas preferidas são elaboradas, levam vários ingredientes e cozinham durante horas, mas estou explorando uma nova categoria de sopas que usam poucos elementos e ficam prontas em minutos, sem no entanto deixar a desejar no quesito sabor. O segredo é usar ingredientes de qualidade e acrescentar um toque de originalidade.

Analisemos a sopa de hoje, por exemplo. Sopa de jerimum (ou abóbora, dependendo da região onde você mora) é um dos pratos mais simples que existe. Um pouco de cebola refogada no azeite, uns dentinhos de alho, caldo de legumes, jerimum e está pronto. Tão simples que eu, boba que sou, nunca tive vontade de experimentar, achando que algo tão singelo só podia ser sem graça. Como eu estava errada! O fato é que mesmo sendo natural do Rio Grande do Norte, onde o delicioso jerimum de leite é presença garantida em todas as mesas, provei minha primeira sopa de jerimum ontem. O que me fez ter vontade de experimentar a tal sopa, depois de 29 anos de preconceito gastronômico? Gengibre. A idéia de juntar um pouco de gengibre à sopa atiçou minha curiosidade. Então ontem tive uma revelação  na minha cozinha gelada. Misturando poucos ingredientes nasceu uma sopa absolutamente deliciosa e surpreendente.

Não cometa o mesmo erro que cometi, deixando a simplicidade dos ingredientes te afastar dessa maravilha. Ao assar o jerimum, o sabor fica mais concentrado e ligeiramente caramelizado. Um pouco de gengibre e um toque de óleo de gergelim complementam perfeitamente a doçura do jerimum, sem no entanto ofuscá-lo. Se ainda não te convenci da necessidade de preparar essa sopa o mais rápido possível, aqui vão mais dois argumentos. Se o jerimum estiver assado, a sopa fica pronta em menos de 15 minutos e é super fácil de preparar. Simples, fácil, rápida e deliciosa. Tudo que eu preciso pra esquecer que ainda tenho que encarar dois dias na escola maternal.

 

Sopa de jerimum (abóbora) e gengibre

Eu usei abóbora do tipo “butternut”, que é bem doce e a polpa, quando cozida, é super cremosa. O sabor e a textura são idênticos ao nosso jerimum de leite, então é o que recomendo você usar nessa sopa. Se na sua região não tem jerimum de leite pegue o primeiro avião pro Nordeste use uma abóbora comum. Como expliquei acima, gosto de assar o jerimum no forno antes de acrescentá-lo à sopa. O sabor fica mais concentrado e a textura ainda mais cremosa, além de  me poupar do trabalho (desagrádavel) de descascá-lo. A quantidade de água necessária varia de acordo com o teor em água do jerimum usado. Começe com um pouco menos do que o recomendado na receita e junte um pouco mais, se preciso. O óleo de gergilim é opcional, mas acrescenta mais uma camada de sabor à sopa.

3x de polpa de jerimum assado (instruções no final do post)

1/2 cebola picada

2 dentes de alho picados

1 cs de gengibre fresco ralado

1 cubo de caldo de legumes (se possível sem conservantes, com pouco sódio e orgânico)

600ml de água (ou menos, dependendo do seu jerimum)

1cs de azeite

1cc de óleo de gergelim (opcional mas fortemente aconselhado)

Refogue a cebola no azeite até ficar ligeiramente dourada. Junte o alho e o gengibre e refogue mais 30 segundos. Desligue o fogo e acrescente a polpa de jerimum assado, o caldo de legumes, 500ml de água e mexa bem. Triture tudo no liquidificador até a sopa ficar cremosa e sem nenhum pedacinho de cebola ou gengibre visível. Coloque a sopa de volta na panela e, se a consistência estiver muito grossa, acrescente mais 100ml de água. A sopa é bem espessa mas não deve ficar parecida com um purê. Aqueça a sopa e quando começar a ferver desligue o fogo. Junte o óleo de gergelim, se estiver usando, misture bem e sirva. Serve duas porções generosas.

Pra preparar o jerimum:

Aqueça o forno em temperatura média/alta. Lave o jerimum, corte-o em pedaços grandes e retire as sementes.  Não precisa descascar. Coloque os pedaços em uma travessa com o lado da casca pra baixo, cubra com papel alumínio e asse até a polpa ficar bem macia. Espete um pedaço de jerimum com um garfo: se entrar sem nenhuma resistência está pronto. Deixe esfriar um pouco e recolha a polpa com uma colher. Separe 3x e guarde o resto pra outra utilização. Assar o jerimum leva um certo tempo, mas não exige sua presença na cozinha. Você pode colocá-lo no forno e ir cuidar da sua vida enquanto ele assa. Já que você vai se dar o trabalho de assar jerimum, faça como eu: cozinhe uma grande quantidade e congele uma parte da polpa pra usar mais tarde.  A vida é tão mais fácil quando temos algumas xícaras de polpa de jerimum assado no congelador…

Update pros amigos que estão na Europa: Se você usar um “butternut”, que é bem menor do que as abóboras encontradas no Brasil, não precisa cortá-lo em pedaços. Basta partí-lo ao meio, cobrir cada metade com papel alumínio e assar diretamente sobre a grelha do forno. Depois de cozido retire as sementes com uma colher e recolha a polpa.

Anúncios