Sopa cremosa de tomate

Saudações da terra dos ocupados! Aqui em casa o nível de atividades nunca esteve tão intenso. Minha vizinha que mora nos States, e que vem aqui duas vezes por ano, me contratou pra fazer todas as suas refeições durante uma semana (café da manhã, almoço, jantar e uns lanchinhos). Ela já tinha contratado meus serviços ano passado e gostou tanto que quis repetir a experiência. Por isso desde sábado passo a maior parte dos meus dias cozinhando, além de continuar todas as minhas outras atividades (oficinas de nutrição pra crianças, aulas de francês, projeto social no campo de refugiados) no tempinho livre que sobra entre as refeições. De noite eu desmaio e Anne me carrega escada acima até a cama. Mas não vou reclamar, afinal não é todo mundo que tem o privilégio de ganhar dinheiro fazendo o que mais gosta.

O cardápio desse últimos dias foi digno de um festival de gastronomia vegano (gnocci, maki, lasanha, curry…) e pretendo dividir algumas das delícias com vocês, mas tenho só alguns minutos antes de sair correndo pra minha aula de francês. Hoje vocês terão que se contentar com o prato mais simples que preparei nos últimos dias: sopa cremosa de tomate. Criei essa sopa ano passado, invadida pelo desejo de fazer a melhor sopa de tomate do mundo. Perdoem a arrogância, mas de vez em quando sou invadida por acessos de grandeza.  Várias receitas me inspiraram e, combinando um pouco de cada, nasceu uma sopa ultra saborosa e simplérrima de fazer. O segredo  está nos detalhes: assar os tomates pra tirar o máximo de sabor deles, o vinagre balsâmico que carameliza no forno, acrescentar um toque de creme (vindo das castanhas)  e um punhadinho de mangericão fresco pra realçar… Gostaria de ter mais alguns minutos pra descrever a delícia que é essa sopa, mas o tempo urge. Vou dizer só mais uma coisinha: se eu fosse poeta, faria um poema pra essa sopa.

Sopa cremosa de tomate

A qualidade da sua sopa vai depender da qualidade dos tomates utilisados. O ideal é usar tomates bem maduros e, se possível, orgânicos. Essa sopa, contrariamente à todas as outras sopas que postei no blog, não leva caldo de legumes, pois o sabor do tomate assado é suficiente pra tornar a sopa deliciosa. Amigos que não encontram caldo de legumes sem conservantes, essa sopa é pra vocês.

6 tomates grandes, bem maduros, cortados em 4

1 cebola, cortada em pedaços grandes

4 dentes de alho

2cs de vinagre balsâmico

1/3x de castanha de caju, de molho por 6 horas*

1 punhadinho de manjericão fresco

2cs de azeite

água

sal e pimenta do reino à gosto

Aqueça o forno em temperatura alta. Em uma travessa de vidro (que vá ao forno) ou uma forma funda disponha os tomates cortados, a cebola em pedaços e os dentes de alho inteiros e com casca. Regue com o azeite e o vinagre e tempere com sal. Asse em forno alto até os tomates ficarem bem macios e liberarem uma parte do suco e os pedaços de cebola ficarem com algumas pontinhas ligeiramente queimadas. O tempo vai depender do seu forno, mas também da forma utilisada (se for de vidro vai demorar mais, mas será mais fácil de limpar depois). Deixe esfriar um pouco e transfira tudo pro liquidificador (sólidos e líquido), sem esquecer de descascar o alho antes. Acrescente as castanhas escorridas, o manjericão e uma pitada generosa de pimenta do reino. Triture na potência máxima até as castanhas se desintegrarem completamente (teste esfregando um pouco da sopa entre os dedos). Se a sopa parecer grossa demais, junte um pouquinho de água (cerca de 1/3x deve ser suficiente, lembre-se que a sopa deve ficar cremosa).  Aqueça a sopa em fogo baixo, prove e corrija o tempero, se preciso. Serve 2 porções. Essa sopa implora pra ser servida com um pão rústico ligeiramente tostado.

*Se você não puder/quiser usar castanhas, use creme de leite de soja (1/2 caixinha talvez seja suficiente). Eu gosto mais da castanha, mas reconheço que o creme pronto é mais prático.

Anúncios