Em 24 horas eu peguei um táxi, um ônibus, uma van, dois aviões, outra van, um carro e atraversei três fronteiras. Saí de casa domingo as 9 da manhã e cheguei na minha destinação final segunda ao meio dia. Mas essa longa e cansativa jornada valeu a pena. Meu peito se enche de alegria quando volto ao velho mundo, sem falar a felicidade de encontrar a família francesa, degustar as refeições elaboradas e as longas conversas ao redor da mesa, respirar o ar puro e fresco da Auvergne e descansar depois dos meses de trabalho intenso. E ainda tem o jardim do meu sogro…

Volto em breve com mais notícias e uma receita. Por hora se alguém quiser falar comigo, me procure embaixo do carvalho.

 

Anúncios