No mês de novembro também aconteceu isso: eu fiz 30 anos. Foi especial comemorar a data com a família em Natal, pois faz 10 anos que me mudei pro exterior e sempre passava meu aniversário longe deles. Curiosamente, nesse dia eu só pensava na minha sobrinha de 13 anos. Ela tem exatamente a idade que eu tinha quando decidi que um dia moraria em outro país e me lembra muito a adolescente que eu era. Quando eu tinha essa idade, provavelmente pensava que aos 30 tínhamos resposta pra todos os enigmas do universo e sinto que minha sobrinha me olha como se eu fosse proprietária de uma certa sabedoria. Tentei fazer uma lista das coisas que queria que ela soubesse, mas tive medo de decepcioná-la expondo justamente… minha falta de sabedoria. Acho, no entanto, que aprendi umas coisinhas entre 13 e 30, mas isso tem mais a ver com minha própria trajetória. Por isso, ao invés de conselhos pra minha sobrinha, fiz a lista dos conselhos que daria pro meu eu de 13 anos, se pudesse voltar a 1994 e ter um papo comigo mesma:

-O mundo desabou nas suas costas, eu sei, mas confie em mim: há vida depois dos 13.

-Amar nunca é errado. Não tem nenhum problema com você, problema tem os outros.

-Sua falta de peito não impedirá ninguém de se apaixonar por você. Assim mesmo, baixinha, despeitada e magérrima, você será muito feliz no amor.

-Vão te achar doida, egoísta e irresponsável. Ignore solenemente.

-Pai e mãe podem errar muito, mas um dia você será forte o suficiente pra perdoá-los.

-Isso não significa que você terá a obrigação de ficar o tempo todo ao lado deles. Você tem o direito de se afastar, se a sua felicidade estiver em outro lugar.

-Daqui a alguns anos um rapaz muito doce e com cílios longuíssimos vai tentar se declarar pra você. Não o impeça de falar! Escute tudo e dê um beijo nele. Esse rapaz vai morrer muito jovem e você nunca terá a chance de se desculpar pela falta de sensibilidade.

-Use todo o seu tempo e energia tentando descobrir o que você deseja fazer com a sua existência. Quando descobrir vá em frente e a vida tomará conta do resto.

Duvido que esses conselhos sejam úteis pra minha sobrinha. Experiência não pode ser transmitida e ela seguirá um caminho único, com outros buracos, desafios e surpresas. Mas se eu sobrevivi aos 13 e cheguei inteira e feliz aos 30, então ela também pode. O melhor presente que eu poderia ganhar nesse trigésimo aniversário seria ter a certeza que a minha florzinha vai viver os seus sonhos e que na hora de escolher entre o certo e o fácil, ela escolherá sempre o certo.

Antes de ir embora de Natal eu preparei essa torta pra ela. Há tempos que pensava em combinar seus sabores preferidos, chocolate, banana e amendoim, em uma sobremesa e passei meses fazendo e desfazendo a torta na cabeça antes de me aventurar na cozinha. Fiquei muito tensa, mas tenho o orgulho de dizer que a torta ficou ótima logo na primeira tentativa. Acho que foi o amor que coloquei nela…

Florzinha, você já entendeu que a vida dá umas arranhadas aqui e acolá, mas quando ficar tudo cinza e feio eu faço uma torta de chocolate, banana e amendoim pra você. E confie em mim, há vida depois dos 13.

Torta de chocolate, banana e amendoim

Eu faço manteiga de amendoim em casa, triturando amendoim torrado e ainda quente no meu mini processador até virar uma pasta. Você pode juntar um pouco de água quente, se seu amendoim não passar do estado de farofa. Se não encontrar manteiga de amendoim pura (sem açúcar) e não quiser tentar fazê-la em casa, você pode triturar 1/2x de amendoim (ou picar fininho com uma faca) e misturar na massa. Mas além de acrescentar sabor, a manteiga de amendoim deixa o recheio ainda mais cremoso, então é o que recomendo. Se não gostar de banana faça a torta toda de chocolate. Nesse caso use 400g de chocolate e bata com todo o tofu. Duas recomendações: use um biscoito de chocolate bem crocante e não muito doce (encontrei rosquinhas baratas e veganas que eram perfeitas!) e use um chocolate em barra com no mínimo 50% de cacau. O da Arcor tem 53% de cacau, é vegano e não tem nenhum ingrediente bizarro, como vi em alguns chocolates por aí. Foi o melhor chocolate que encontrei no mercado brasileiro. Se quiser um sabor ainda mais intenso, use um chocolate com 60 ou 70% de cacau, mas nesse caso você precisará de um pouco de açúcar pra adoçar o recheio.

Massa

3x de biscoito de chocolate esmigalhado (usei rosquinha de chocolate)

4cs de margarina vegetal

Recheio

2 1/2x de tofu sedoso*

320g de chocolate amargo, com no mínimo 50% de cacau (usei o amargo da Arcor, vegano e com 53% cacau)

3cs cheias de manteiga de amendoim

1 banana grande

Um pouco de suco de limão

Pra esmigalhar os biscoitos, coloque tudo dentro de um saco plástico, feche e bata com algo pesado (um rolo pra massa, por exemplo) até ficar todo quebradinho. A textura deve ficar bem fina, quase um pó. Misture as migalhas de biscoito com a margarina, amassando bem com as mãos. Cubra uma forma com fundo removível (algo entre 22 e 25 cm de diâmetro) com a massa, apertando bem com os dedos ou com as costas de uma colher. Reserve.

Pique o chocolate e derreta em banho-maria. Coloque 2x de tofu sedoso, a manteiga de amendoim e o chocolate derretido no liquidificador e bata até ficar completamente homogêneo. Transfira a mistura pra uma tigela e reserve. Lave o liquidificador e bata a 1/2x de tofu restante, a banana e um pouco de suco de limão (1cc é suficiente). Os dois recheios devem ficar cremosos e ligeiramente aerados, então seja paciente e bata bastaste, parando de vez em quando pra mexer com uma colher. Despeje colheradas do recheio de chocolate sobre a massa, alternando com colheradas do recheio de banana. Termine com uma camada do recheio de chocolate e despeje montinhos do recheio de banana por cima. Com um palito faça movimentos circulares, misturando os dois recheios e criando um efeito de mármore. Cubra a torta com papel filme e deixe na geladeira durante pelo menos 6 horas antes de servir. Pra encurtar esse tempo você pode deixar a torta 1 hora no congelador e depois 3 horas na geladeira. Desenforme e sirva bem gelada. Rende 10 porções (a torta é bem intensa e é melhor fazer fatias pequenas).

*Pra quem não conhece, tofu sedoso é um tipo de tofu bem macio e com a consistência de um pudim firme. Quando batido no liquidificador fica com a textura de um creme denso e é perfeito pra usar em sobremesas. Ele substitui o creme de leite, com a vantagem de ficar bem firme depois de gelado (além de não ter colesterol, ser pobre em gorduras e ter muita proteína).

Anúncios