Faz um certo tempo que venho pensando em criar uma nova categoria de receitas aqui no blog. O sucesso de um prato, na minha opinião, depende em 90% da qualidade dos ingredientes utilizados, mas o tempero é responsável pelos 10% restantes. A qualidade dos produtos utilizados em uma receita não depende do cozinheiro, mas é na hora de acertar o tempero que o talento do chef brilha (ou não). Usar a erva ou a especiaria certa, escolher um condimento ou molho que case perfeitamente e realce o prato faz toda a diferença, principalmente quando você não dispõe de ingredientes de primeira.

Eu sou fascinada por esse tipo de preparação e vasculho os supermercados e mercearias dos lugares por onde passo inspecionando vidrinhos e potinhos com substâncias exóticas, familiares, inusitadas… Mas muitas dessas preparações podem ser feitas em casa, por isso resolvi criar a categoria “Condimentos, molhos e temperos”, onde pretendo dividir as receitas que preparo na minha cozinha e que acrescentam muito sabor ao conteúdo das minhas panelas.

Vou começar com algo bem simples, mas que eu adoro: sal com salsão. Uso caldo de legumes orgânico e sem conservantes em algumas das minhas receitas, mas sei que pouca gente tem acesso a esse produto. Uma alternativa seria usar sal com ervas. Embora esse sal com salsão não ofereça a complexidade de sabores de um caldo de legumes, afinal aqui só uso um legume, o sabor é tão intenso que em alguns pratos é suficiente. O principio é simples e pode ser usado com outras ervas: escolha folhas frescas e cheias de vida, lave e seque bem e desidrate no forno baixo por alguns minutos. Depois é só esfarelar com os dedos e misturar com a mesma quantidade de sal marinho. Dependendo da potência da erva utilizada você vai precisar usar um pouco mais de sal do que de erva desidratada. Fiz um sal com tomilho, por exemplo, e acabei usando 1/3 de erva e 2/3 de sal. Outra informação importante: algumas ervas secam naturalmente em temperatura ambiente, como o tomilho citado acima. Já as folhas de salsão precisam ser secadas no forno, pois em temperatura ambiente elas não secam, murcham.

Gosto de usar esse sal com salsão pra temperar pratos à base de milho (milho refogado, creme de milho) e batata, mas também em sopas de legumes em geral e sopas com feijão branco. Mas tenho certeza que mentes criativas encontrarão novas utilizações pra ele.

Sal com salsão

Na hora de comprar, escolha um salsão com folhas bem verdes e em perfeito estado. Use as folhas pra fazer o sal e os talos em outro prato (como minha salada de batata, por exemplo). É melhor usar um sal marinho, mas caso não encontre, sal comum também funciona. Essa receita eu encontrei nesse blog que adoro.

Folhas de salsão

Sal marinho

Retire as folhas dos talos de salsão e lave bem. Seque usando um pano de prato e tente retirar o máximo de água possível. Espalhe as folhas em uma forma de metal rasa (uma daquelas formas de assar biscoitos), tentando fazer uma camada única. Se tiver muitas folhas, desidrate por partes. Leve ao forno na temperatura mais baixa disponível e deixe a porta do forno entreaberta (só um pouquinho). Asse durante 10 ou 15 minutos, dependendo do seu forno e da quantidade de folhas que estiver desidratando. As folhas devem ficar secas, mas não queimadas (veja foto acima), então fique por perto e olhe o estado delas várias vezes durante o processo. Deixe esfriar completamente e esfarele as folhas com os dedos (jogue fora as folhas que não ficaram totalmente desidratadas). Misture com a mesma quantidade de sal marinho e guarde em um recipiente bem fechado.

Anúncios