Genebra

…e um pedaço a pé. Foi isso que tive de enfrentar na viagem de volta, que durou dois dias. Vou precisar de mais alguns dias pra me recompor da aventura, mas prometo voltar ao ritmo normal de posts aqui no blog em breve. Enquanto isso queria dar uma palavrinha sobre… comida da Etiópia e Eritreia. Explico.

Durante a (longa) viagem de volta tive que passar uma noite em Genebra, na Suíça (na ida também). A cidade abriga imigrantes do mundo inteiro e tem ótimos restaurantes etíopes e eritreus. Esses dois países vizinhos têm muitos pratos típicos em comum, como injera (o “pão” tradicional feito com farinha de teff e longamente fermentado, que parece uma panqueca fina e ligeiramente esponjosa) e diferentes tipos de shiro (purê de leguminosas). Eu já tinha provado comida da Etiópia em um restaurante em Jerusalém, mas Anne não conhecia a culinária desse lugar. Fiquei muito feliz ao descobrir um restaurante da Eritreia, que, como expliquei, tem alguns pratos idênticos aos da Etiópia, perto do albergue onde ficamos hospedadas em Genebra. Comi lá com ela dois meses atrás, quando estávamos a caminho do Brasil, e antes de ontem voltei lá sozinha.

Pelo que vi nas duas vezes que visitei o lugar, o restaurante é frequentado quase que exclusivamente por etíopes e eritreus. Isso é um ótimo sinal quando se trata de restaurantes étnicos. A comida é excelente e barata, comparada com os preços dos restaurantes locais (se você ainda não sabe, tudo em Genebra custa os olhos da cara!). Me empolguei tanto com a comida desses países que pretendo fazer mais pesquisas sobre o assunto e me aventurar na cozinha com algumas receitas tradicionais. Além de deliciosa e nutritiva, a culinária etíope e eritreia é cheia de pratos veganos!

Por enquanto fica a foto do meu jantar de antes de ontem: shiro de ervilha amarela, servido sobre injeras, mais legumes cozidos e uma mini salada verde. Uma combinação perfeita de texturas e sabores, tudo apimentado na medida, exatamente como gosto.

Vou terminar de chegar, pois mesmo se meu corpo está em casa há vinte e quatro horas, tenho a impressão de estar chegando aos pouquinhos (deixei algumas vértebras e os ombros pelo caminho), e volto em breve com o guia vegano de Natal e mais receitas.

E pra quem estiver de passagem por Genebra e quiser visitar o restaurante, ele fica na rua da estação de trem (Gare Cornavin). Na saída da estação (de costas pra ela) vire à esquerda e caminhe alguns metros nessa direção. O restaurante, cujo nome esqueci, fica no mesmo lado da rua que a estação, ao lado de um restaurante vietnamita.

Anúncios