clermont ferrand1

Natal e outras grandes celebrações em família podem ser um pesadelo pra nós, veganos e vegetarianos. Exatamente um ano atrás eu escrevi esse post com a esperança de ajudar os leitores vegs a sobreviver em uma família onívora, mas hoje eu gostaria de dar algumas dicas específicas pra essa época do ano, quando nos reunimos com família e amigos com mais frequência e a comida ganha um papel ainda mais importante.

As pessoas ainda me perguntam, mesmo cinco anos depois de ter me tornado vegana, se é difícil viver sem carne, queijo e outros produtos de origem animal. Já devo ter mencionado várias vezes aqui no blog que nossos gostos mudam/evoluem com o tempo. Não, não acho difícil viver sem produtos de origem animal, a parte mais difícil do veganismo é, pra mim, não participar de ocasiões sociais com a família da mesma maneira que antes, quando eu era onívora. Comer é muito mais do que matar a fome ou levar nutrientes pra dentro do corpo: é um ritual de socialização. Dividir uma refeição com alguém é algo tão importante que em Francês “amigo” se diz “copain” (literalmente “co-pão”), do latin “cum panis”, aquele com quem dividimos o pão (o nosso “companheiro” também deriva de “cum panis”). Sentar à mesa com alguém e dividir um alimento é algo carregado de simbolismo, por isso tanta gente se ofende quando recusamos o prato que eles prepararam. Em algumas culturas, como a palestina, por exemplo, recusar a comida que alguém te oferece é o equivalente a recusar a sua hospitalidade e pode ser visto como uma ofensa ao seu anfitrião. Por isso acho que socializar ao redor da mesa com onívoros é a parte mais difícil do veganismo. Na final do ano, quando algumas refeições (jantar e almoço de natal) ocupam um lugar tão importante nas festividades, a coisa fica ainda mais complicada. Mas, leitores vegs, não se desesperem! É possível atravessar as últimas semanas de dezembro sem ofender seus avós nem jogar o bloco de tofu nos parentes carnívoros pouco respeitadores. Essas dicas vão te ajudar a dividir o pão com as pessoas que você ama, sem perturbar (muito) a harmonia do seu lar.

IMG_2809

1- Antes e acima de tudo, aja com respeito. Eu já falei o quanto acho isso importante naquele post sobre como ser vegano em uma família onívora, mas vou repetir. A única maneira de ser respeitado (de verdade) é respeitando os outros. Trate o regime dos seus familiares exatamente da mesma maneira que você gostaria que eles tratassem o seu: sem críticas, sem agressividade e sem deboche. Mesmo se eles não aceitam o seu regime. Principalmente se eles não aceitam o seu regime! Você tem muito mais chances de inspirar mudanças sendo o exemplo do que você gostaria de ver. Acha que as pessoas deveriam te aceitar? Comece aceitando as pessoas.

2- Na hora de planejar o menu de natal da família onívora, a minha estratégia é a seguinte: propor acompanhamentos veganos e dois pratos principais, um onívoro e outro vegano. Assim nós dividimos a refeição (pelo menos metade do conteúdo do nosso prato é igual) e ao mesmo tempo ninguém precisa fazer concessões. Algumas sugestões de deliciosos acompanhamentos vegetais que agradarão onívoros e vegs: salada de batata de Lila, salada de batata, tofu defumado e uva, arroz da terra com coco e castanha e banana da terra assada, couve-flor com passas e alcaparras, espinafre com creme, panqueca de batata alemã, salada de lentilha e pera, salsa de manga… Sugestões de pratos principais veganos que não farão feio na mesa de natal: cogumelo e tofu grelhado com molho de maçã e cebola, tourte de espinafre e cogumelo, crepes recheados com creme de tofu e espinafre, quiche de abobrinha, pimentão grelhado e tomate seco

3- Quando o assunto é sobremesa, as chances da sua família onívora se empolgar com a ideia de uma torta/bolo/mousse vegetal são bem pequenas. Exceções existem e, se for o seu caso, aproveite pra escolher uma super sobremesa vegana que vai deixa-los impressionados (como esse pavê trufado de chocolate amargo e morango, essa torta de chocolate, banana e amendoim, esse pavê de banana com coco, baunilha e rum ou essa torta de maçã), mas é mais provável que eles não abram mão de uma sobremesa tradicional. Tudo bem. Faça uma sobremesa vegana pra você e seja generoso/a: provavelmente algum parente vai pedir pra provar.

sobremesascópia

4- Sua família é extremamente resistente com relação ao veganismo/vegetarianismo e faz questão absoluta que cada prato do menu contenha produtos de origem animal? Amigo/a, eu sinto muito e se pudesse te convidaria pra minha ceia. Mas como isso não é possível você tem duas opções. Depois de respirar fundo, sorria (tente, pelo menos) e diga “Não tem problema, família. Eu prepararei minha própria refeição.” Ou, se preferir não comer com eles diga “Nesse caso passarei depois do jantar/almoço pra comer a sobremesa com vocês. Eu trarei uma sobremesa vegetal pra mim e quem quiser provar.” Você tem o direito de chutar a parede e dizer alguns palavrões depois, mas é melhor não fazer isso na frente deles.

5- Toda família tem aquele membro que se sente atacado pela simples presença de um vegano/vegetariano na mesa e sempre adota uma postura agressiva na tentativa de defender sua alimentação. Não entre em discussão com essa criatura. A harmonia do almoço/jantar de família é mais importante do que provar pra esse parente que a função dos animais na Terra NÃO é satisfazer nosso apetite (ou qualquer outra besteira do tipo). Deixe o chato falar sozinho. Diga “Tio Godofredo, prefiro não discutir esse assunto hoje” e ignore os comentários e piadinhas que ele possa fazer com relação à sua alimentação. Não compre a briga dele e as pessoas ao seu redor entenderão o quanto esse tipo de atitude é desrespeitosa.

6- Porém se sentir um interesse verdadeiro de algum parente/amigo pelo veganismo, não perca essa oportunidade. Mas tenha uma conversa particular com a pessoa (não cante louvores ao veganismo em voz alta, olhando fixamente tio Godofredo). Se sentir que o interesse é grande, resista à tentação de passar o jantar/almoço inteiro explicando as maravilhas da dieta vegetal ao parente interessado. Prometa enviar alguns artigos/livros/sites pra pessoa se informar mais sobre a questão e se disponha a tirar suas dúvidas em outro momento.

IMG_2826

Em todo caso lembre que, embora dividir o pão seja importante (principalmente nessa época do ano), o essencial é mostrar à sua família e amigos o quanto você gosta deles. Se você se sentir atacado por não comer da mesma maneira que eles, não hesite em lembra-los que dedicar o seu tempo e atenção aos entes queridos conta muito mais do que o conteúdo do seu prato.

Precisando de mais inspiração pra ceia de natal? Veja minhas sugestões de pratos pra um natal vegano. Esse ano vou passar o natal com a família de Anne (estou escrevendo essas linhas diretamente do interior da França) e vou preparar vários pratos. Espero conseguir postar as receitas e fotos da nossa ceia e almoço, mas elas só aparecerão por aqui depois do natal…

Anúncios